Aqui você é bem vindo, pode acreditar! ;-)

sábado, 26 de dezembro de 2015

Filho "trolla" o pai dizendo que é gay

Eae galerinha, beleza?

Hoje eu vi algo muito interessante e eu precisava contar pra vocês. Obviamente, o que eu vou discutir com vocês nessa postagem não é nenhuma novidade porque é o que as pessoas esperam nessas situações. Ou melhor, algum de vocês já devem ter passado por isso, ter presenciado ou até mesmo ter um amigo que já tenha passado.

Trata-se de uma "trollagem" de um filho com o pai. Eu confesso que eu ri muito, mas no fundo eu estava desesperado com o episodio. Não dá pra acreditar que coisas assim ainda acontecem. Dá até para entender o porque das pessoas não se assumirem.

O que aconteceu foi o seguinte: o filho chama o pai para uma conversa sobre sua sexualidade, tudo não passa de uma brincadeira, mas o pai até descobrir, quase mata o moleque, literalmente.

Confira o vídeo:

O vídeo retrata a situação constrangedora que muitos filhos passam ao dizer a verdade sobre sua condição aos pais.

O que me chamou mais atenção no vídeo não é a indignação ou intolerância do pai e sim seus argumentos. Além do repúdio, aversão da ideia de ter um filho gay, o pai cita a vergonha que passará diante da família e amigos.

Perceba que ele cita a Bíblia. Provavelmente esse pai não é religioso. Mas nessa conversa, esse livro não poderia ficar de fora na hora da condenação. (Se você tiver dúvida sobre o que diz a bíblia sobre homossexualidade, leia nosso artigo Bíblia e Homossexualidade).

Outro sena muito interessante é quando o pai questiona qual a posição sexual do filho na relação homossexual. Quando o filho revela que é passivo o pai falta ter um "tréco."
O fato do filho ser semelhante a mulher na relação, ou seja, a forma passiva, era a pior notícia que ele podia receber, era inadmissível! (Nosso artigo Bíblia e homossexualidade relata bem a origem dessa cultura machista.)
Em certo momento, ele usa uma expressão de que o melhor seria se pelo menos ele fosse ativo. Ou seja, ser ativo é ser macho. É uma condição "menos pior"
segundo o pai. Isso retrata bem a responsabilidade que a cultura cobra de um homem na sociedade.

O jovem sofre todo tipo de agressão: física, psicológica, verbal (tudo junto e misturado). Além das ameaças, é lógico que não podia faltar, que é de praxe, e colocar para fora de casa.

Depois desse vídeo podemos perceber que existe um caminho longo a percorrer quando nos referimos a respeito e igualdade.

Caso você tenha passado por isso e queira compartilhar com a gente, deixe seu comentário aqui em baixo. 
Obrigado!